sexta-feira, 25 de maio de 2018

Homens ou meninos? Fla reduz média em 16 anos e coloca zaga à prova contra o Galo




Chegou a hora de separar os homens dos meninos. O clichê serve para definir o desafio da dupla de zaga do Flamengo, sábado, às 21h (de Brasília), diante do Atlético-MG, no Independência. Sem os experientes Réver e Juan, lesionados, os garotos Léo Duarte e Thuler têm missão dobrada pela frente: ajudar o Rubro-Negro a recuperar a liderança do Brasileirão e mostrar que não há urgência de ir ao mercado para reforçar o setor. 

Léo Duarte em ação no clássico com o Vasco, pelo Carioca: são 30 jogos como profissional (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) 
Com a mudança, Maurício Barbieri tem uma queda drástica na média de idade de sua dupla de zaga: de 36 para 20 anos. Isso porque Rhodolfo, substituto natural dos titulares, está suspenso pela expulsão no clássico com o vasco. A falta de opções fará com que Léo e Thuler entrem em campo juntos pela sexta vez na temporada. 

A parceria até começou bem, passando ilesa aos confrontos com Cabofriense e Bangu no Carioca. A goleada por 4 a 0 sofrida para o Fluminense, entretanto, é a responsável pela pulga atrás da orelha. É preciso recuperar a confiança de um torcedor que os viu em campo ainda na derrota por 1 a 0 para o Macaé e nos minutos finais do 3 a 1 sobre o Atlético-GO, em amistoso. 

Jogos em que Léo Duarte e Thuler jogaram juntos:
  • Flamengo 1 x 0 Cabofriense
  • Flamengo 1 x 0 Bangu
  • Flamengo 0 x 4 Fluminense
  • Flamengo 0 x 1 Macaé
  • Flamengo 3 x 1 Atlético-GO (os últimos 12 minutos)
Segurar um ataque com o consagrado Ricardo Oliveira e Roger Guedes, artilheiro do Brasileirão, será importante também para que ambos comecem a justificar no profissional a fama que os acompanhou na base. Mais rodado, Léo Duarte, de 21 anos, foi campeão da Copa São Paulo em 2016, quando foi capitão. Desde então, são 30 partidas como profissional: 15 vitórias, oito empates e sete derrotas.

- Eu e Thuler só jogamos juntos no profissional, na base nunca jogamos. Mas a gente não sabe qual será a zaga. Quem entrar, dará o melhor pelo Flamengo. É um jogo importante contra o Atlético, vamos entrar com força máxima e foco total para tentar voltar com os três pontos - disse Léo no desembarque no Rio de Janeiro vindo de Buenos Aires. 
 

Para Thuler, a oportunidade é ainda mais desafiadora. Integrado definitivamente aos profissionais desde o início do ano, não fez parte do elenco vencedor da Copinha, mas foi titular no início da campanha no Carioca. Ao todo, são sete jogos no time de cima, que renderam ainda convocações para a Seleção Sub-20. 

A oportunidade diante do Atlético-MG surge justamente uma semana após passagem relâmpago pelas categorias de base. Na decisão do Carioca da categoria, Thuler foi o reforço do Flamengo que bateu o Vasco por 1 a 0 no Maracanã e levou o título. Sete dias depois, o desafio é maior. Chegou a hora de separar os homens dos meninos.

Sem espaço no Flamengo, volante Willian Arão entra na mira do Inter

Willian Arão entra na mira do Inter (Foto: André Durão)Rodrigo Caetano assumiu oficialmente o cargo de diretor executivo do Inter nesta quinta-feira, imediatamente após ser apresentado pelo presidente Marcelo Medeiros e o vice de futebol Roberto Melo no Beira-Rio. O profissional conhecerá sua nova sala, no CT do Parque Gigante, e toda a estrutura de trabalho do clube e logo ficará a par dos nomes analisados pelo Colorado para complementar seu elenco para a disputa do Brasileirão. 

Um deles é Willian Arão, seu velho conhecido dos tempos de Flamengo, último clube por que passou antes do Inter. O volante figura na lista de atletas monitorados pelo departamento de futebol colorado. A diretoria irá repassá-lo, assim, para análise do executivo antes de cogitar uma possível investida pelo jogador. 

 Na entrevista coletiva após a apresentação, Caetano rechaçou que o interesse por Arão trata-se de uma indicação pessoal. O dirigente ainda negou que esteja tratando da negociação e assegurou que ainda não tratou de nomes com a diretoria. 

– Questão do Willian Arão, não conversamos de nomes. Qualquer tipo de especulação é porque vinha sendo tocado antes da minha chegada. Agora, vamos nos informar de tudo – afirma o dirigente. 

De acordo com o que o GloboEsporte.com apurou, o técnico Odair Hellmann mostrou entusiasmo com a possibilidade de contar com o volante, que sofre com contestações por parte da torcida rubro-negra. Os altos valores envolvidos em uma compra estão descartados. 

Willian Arão chegou ao Flamengo em 2016 e foi apresentado por Rodrigo Caetano, à época executivo do clube carioca. O volante foi titular durante boa parte das duas primeiras temporadas pelo Rubro Negro. Perdeu espaço, porém, com o técnico Maurício Barbieri. Em 2018, são apenas oito jogos disputados, o último deles contra o Santa Fe, pela Libertadores. 

quinta-feira, 24 de maio de 2018

River Plate 0 X 0 FLAMENGO


Ficha Técnica

Estádio: Monumental de Nuñez, em Buenos Aires (ARG)

Data-hora: 23/5/2018, às 21h45

Árbitro: Andrés Cunha (URU)

Cartão amarelo: Ignácio Fernández, Ponzio, Enzo Pérez e Maidana (RIV); Lucas Paquetá e Jean Lucas (FLA)

River  Plate: Armani; Montiel, Maidana, Pinola e Saracchi; Ponzio, Enzo Pérez, Palacios (Rojas, 32'/2ºT) e Ignácio Fernández; Scocco (Mora, 38'/2ºT) e Lucas Pratto (Borré, 32'/2ºT) - 
Técnico: Marcelo Gallardo

FLAMENGODiego Alves; Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Jean Lucas (Jonas, 36'/2ºT), Lucas Paquetá e Everton Ribeiro; Vinicius Júnior (Marlos Moreno, 42'/2ºT)  e Henrique Dourado (Lincoln, 36'/2ºT) -
Técnico: Maurício Souza

quarta-feira, 23 de maio de 2018

De saída, Fred Luz revela negociação por "fico" de Vinicius Junior e diz que Ilha do Urubu segue nos planos



Em nota oficial, o Flamengo anunciou na manhã desta quarta-feira a saída de Fred Luz da direção geral do clube. No clube desde a chegada do grupo que conduziu Eduardo Bandeira de Mello à presidência na Gávea, o engenheiro de 64 anos vai ser coordenador de campanha do pré-candidato à presidência da República do partido "Novo", João Amoedo.

Por 35 minutos, Fred Luz atendeu ao Globo Esporte. com. Por telefone, falou dos motivos da saída e, claro, da atuação à frente do Flamengo. Apresentou expectativa positiva pela permanência de Vinicius Junior, artilheiro do Flamengo na temporada, e revelou ainda que o clube vai seguir na administração da Ilha do Urubu, apenas com ajustes a serem feitos, em vista do contrato a médio prazo a ser assinado com o Maracanã.
Confira a entrevista com Fred Luz:
Por que a decisão de sair do Flamengo para se dedicar à campanha política?
Essa experiência aqui no Flamengo me fez acreditar que é possível pegar uma entidade, que é quase pública, com um clube das dimensões do Flamengo, e com práticas de princípios e valores, com energia muito grande, fazer transformações relevantes. Comecei a me questionar se poderia fazer isso fora do futebol, num universo que também é muito carente de transformação, que é a política. Comecei a estudar o cenário em cursos, conhecer partidos que poderiam fazer processos de mudança de fora para dentro e acabou que houve a empatia com o “Novo”, do João Amoedo.

Eu já estava muito junto do Bernardinho, que vai continuar como embaixador do partido, e, como no futebol, qualquer mudança tem que vir da solidez e da sustentabilidade, para compatibilizar o curto prazo sem perder de vista o longo prazo. Eu já disse que quando o Flamengo começar a ganhar, e já está ganhando, vai ganhar sempre, porque vai ter estrutura financeira e gente capacitada. A mesma coisa precisa acontecer no Brasil. 

Como foi esse processo de saída? A conversa com o Bandeira?
Eduardo tem valor maravilhoso nisso (na gestão). Acho que maior exemplo que está dando, no último ano como presidente do Flamengo, é que não está torrando dinheiro. Claro que queremos resultados melhores que em 2017, mas o Eduardo vai deixar legado extraordinário para o próximo mandatário. O próximo presidente vai ter mais dinheiro em 2019 do que temos agora em 2018. 

O que sempre buscamos aqui, solidez e continuidade, estamos fazendo com promoções internas. Tivemos a saída do Rodrigo Caetano, que ajudou para caramba, e propiciou a promoção do Noval. O Barbieri foi trazido para um projeto de longo prazo, mas no futebol, às vezes, as coisas se precipitam e ele acabou assumindo. O Spindel, com quem trabalhei no marketing, também agora como novo diretor geral. 
 
Como vai ser esse vínculo de consultor? É remunerado?
O Eduardo pediu que eu continuasse como consultor para apoiar aqui. Claro que com muito menos intensidade. É um vínculo remunerado, com carga menor de horário e valores menores. Mas não estou saindo hoje. Isso deve acontecer entre a primeira e a segunda semana de junho. 

Que objetivos considera que alcançou nesse tempo todo?
Cheguei para ser diretor do Fla-Gávea, junto com a pasta de marketing. Fiquei pouco tempo. Em 2014 fui promovido a diretor geral. Acho que o principal resultado foi tornar o Flamengo o clube mais sólido do Brasil. Um clube que depende dos seus próprios recursos, que não tem um patrocinador externo ou mecenas que ajude, como o Fluminense já teve.. E seria ótimo se tivesse. Mas o Flamengo está construindo um caminho com robustez, com as próprias pernas. 

Hoje, temos métodos, processos, visão de futuro, sistemas de acompanhamento... Tudo para continuar evoluindo, continuar aumentando receitas, a qualidade da gestão. O próximo passo é buscar excelência na gestão. Isso inclui pouco. Dizem que estou muito no futebol. Mas não vou para o futebol para escolher jogador, dar palpite em técnico. Vou para acompanhar o processo, a estrutura que montamos. 

De que maneira?
Falo da estrutura do Centro de Excelência em Perfomance, do Centro de Inteligência e Mercado, do futebol de base. Hoje, o Flamengo ganhou outra dimensão. Evoluímos, importamos conhecimento com a capacitação dos nossos profissionais, liderados pelo Tannure. Fizemos essa transição da liderança, colocando um cara mais jovem, moderno, propenso em receber isso. Ele tinha experiência com a Exxos (consultora contratada pelo Flamengo) no UFC. 

O Flamengo ficou muito menos dependente de salvadores da pátria. Quando falo que importamos conhecimento não é o cara vir aqui e dizer o que tem que fazer. São processos educacionais. Quando tivemos que fazer substituição na hora crítica, fizemos promoção interna. Como casos do Tannure e do Noval, que já estavam antes da nossa administração e tem a cultura do clube já. Mas não tem terra arrasada, essa coisa de trocar todo mundo. O Flamengo hoje é uma organização que aprende.

Essa última mexida, com demissões de quatro profissionais, não foi mexida grande?
Mas não trocamos todo mundo. A gente trocou pessoas que já passavam muito conhecimento, mas que, na nossa avaliação, não iam levar o Flamengo à evolução e modernização que queríamos. Não fizemos nenhuma mexida que não acreditássemos que fosse importante e relevante. 

Depois de mais de cinco anos, a questão do estádio ainda está longe de ser resolvida. É uma missão incompleta na sua saída, nessa gestão?
Estádio não é uma ciência exata. Estamos cada vez mais perto de ter uma solução. Qualquer que seja a demora, temos uma solução nesse contrato do Maracanã, para os próximos quatro, cinco anos, que ainda vai passar pelo Conselho. Nesse período vamos ver o que fazer. O Maracanã hoje é uma oportunidade. Não são as condições ideais, que o Flamengo só vai ter com seu próprio estádio. E acho cada vez menos provável (que a solução seja) o Maracanã. Cada vez vejo mais dificuldade do Governo do Estado em conseguir conduzir esse processo.
 
O que vai ser decidido da Ilha do Urubu?
A Ilha do Urubu vai ficar como um seguro lá, como sempre foi, para em qualquer eventualidade a gente jogar no Rio de Janeiro. O que está em curso é que estamos em conversa para rever as condições na participação da Portuguesa na recuperação da estrutura. Mas nossa intenção é continuar com a Ilha. 

Soube que você estava negociando, buscando, a permanência do Vinicius. Como está isso?
Temos um acordo com o Real que ele pode ficar por mais tempo. Se não me engano até o meio do ano que vem. 

Mas o Real não pode chamá-lo agora no meio do ano, ao completar 18 anos?
Nosso acordo é que isso vem de uma decisão consensual. 

Isso está no papel?
Está no papel como isso se dá (a decisão consensual). Desde o início, com o Real, a decisão consensual sempre tem prevalecido. 

Então o Vinicius fica até o ano que vem?
Não é que ele fique, ele pode ficar. A nossa expectativa é que isso ande bem. O Real agora está focado na decisão da Champions. Depois disso aí a gente retoma a conversa. O Vinicius está tendo aproveitamento bastante grande aqui, agora, no Flamengo. Estão todos satisfeitos com isso. 

A candidatura do Bandeira, ainda não anunciada, e a sua saída para ser coordenador de campanha, não reforça a ideia de que o futebol virou ponte para a política?
Não vou ser candidato. Repara só, o movimento, a qual pertenci, sempre foi profissional. Vim também numa atitude missionária, num trabalho de transformação no Flamengo. Tive papel importante até por certa independência na condução, apesar de sempre ser muito alinhado com o Conselho Diretor. Acho que o Flamengo tinha uma linha programática desde o lançamento da chapa. E isso foi mantido, mesmo com a dissidência. O Fla se fortaleceu muito, se consolidou, existe esse entendimento do colégio eleitoral. E tem que continuar trilhando esse caminho da responsabilidade. 

Antes de entrar no Flamengo, jamais imaginei trabalhar no Flamengo. Tinha receio do modelo do futebol, tinha aversão e desconfiança. Aqui encontrei ambiente propício a fazer trabalho de qualidade. Uma vez, um cara aqui do Flamengo me mandou um vídeo, com uma citação: “Uma sociedade só prospera quando as pessoas do bem são mais participativas e audaciosas do que as pessoas do mal”. Tenho repetido isso. Aconteceu no Flamengo, com movimento de fora para dentro, com grupos que se organizaram para interferir na política do clube. 

 E se conseguirmos contribuir para repetir isso na administração pública, com progressos importantes para o Rio, para o Brasil... Isso tudo me fez abrir os olhos para esse desafio. O Flamengo é uma das experiências da minha vida. Antes, fui de um grupo empresarial, que hoje é líder mundial no seu segmento, com gestão de excelência. Isso tudo, com princípios e valores éticos que me nortearam no Flamengo, são necessários para governos, gestões na administração pública.

Flamengo fecha com quinto patrocínio para a camisa e estreia marca contra o River Plate


Flamengo anunciou nesta quarta-feira contrato de patrocínio com mais uma marca. A Descomplica, empresa de plataforma de educação digital que também está no uniforme do Fluminense, vai ficar na parte de trás da camisa do Rubro-Negro. O contrato é válido até o fim deste ano. Os valores do patrocínio não foram revelados.

Além da Descomplica, o Flamengo tem como patrocinador principal a Caixa Econômica Federal. Na camisa, ainda há a Carabao, nas mangas, a MRV, nas costas superior da camisa, e a Tim, dentro do número de jogo dos atletas.

O Conselho Deliberativo do Flamengo aprovou o uso da nova propriedade na camisa na reunião realizada na noite dessa terça-feira. A "estreia" da Descomplica será na partida contra o River Plate, nesta noite de quarta, na última partida da fase de grupos da Libertadores, em Buenos Aires.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Rapidinhas do Mengão

. Zagueiro é urgência no Flamengo , mas tendência é que reforço só chegue depois da Copa
. Barbieri defende Dourado: 'Temos que fazer que a bola chegue
. Bandeira indica que Flamengo deve processar Federação do Peru por Guerrero 
. Barbieri lamenta empate e mira juiz: "Favoreceu o anti-jogo do vasco"



sábado, 19 de maio de 2018

Maiores públicos do Brasileirão 2018


Flamengo 2 x 0 Internacional
Público pagante: 55.283
Público presente: 60.182



Flamengo 2 x 0 América-MG
Público pagante: 47.175
Público presente: 52.106


Ceará 0 x 3 Flamengo 
Público pagante: 51.952
Público presente: 52.952


Flamengo 1 x 1 Coisa maldita, vasco sanitário
Público pagante:  32.536 
Público presente: 35.208(34mil Flamenguistas)




Flamengo 1 x 1 Coisa maldita, vasco sanitário



Ficha técnica

Público: 32.536 pagantes
Público: 35.208 presentes
Renda: R$ 1.103.010,00

Gols: Vinicius Junior e Wagner

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Réver (Rhodolfo, 46'/2ºT), Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá, Diego e Everton Ribeiro; Vinicius Júnior (Marlos Moreno, 33'/2ºT) e Henrique Dourado (Lincoln, 44'/2ºT)- 
Técnico: Mauricio Barbieri
Cartões vermelhos: Breno, Riascos, Cuéllar e Rhodolfo.

Chuva de alegria! Flamengo vence o vasco em final paralisada por temporal e é campeão no Sub-20



Não houve chuva que impedisse a festa da garotada rubro-negra no Maracanã. Em preliminar do clássico pelo Brasileirão, o Flamengo venceu o Vasco neste sábado, por 1 a 0, e ficou com o título do Campeonato Carioca Sub-20. Pepê foi o herói ao converter pênalti sofrido por Yuri em linda jogada individual, ainda no primeiro tempo. Pouco antes, a partida foi interrompida por cerca de 10 minutos por conta das fortes chuvas no Rio de Janeiro.


Maiores públicos da Copa do Brasil 2018



Flamengo(classificado) 0 x 0 Ponte Preta

Renda: R$ 1.316.955,00
Público pagante: 52.497
Público presente: 55.822



sexta-feira, 18 de maio de 2018

Flamengo renova contrato com César até abril de 2022: "Amo esse clube"



Flamengo anunciou na tarde desta sexta-feira a renovação de contrato com César por mais quatro anos, até abril de 2022. O vínculo do goleiro terminaria em dezembro, a partir de julho ele já poderia assinar pré-contrato com qualquer equipe e vinha sendo sondado por outros clubes, como por exemplo o Sport. Mas pesou o desejo de ficar, e ele comemorou:

- Estou muito feliz com a renovação! Nunca escondi minha satisfação em trabalhar no Flamengo. Amo esse clube! Minha esposa está grávida e minha filhinha nascerá e já terá o coraçãozinho rubro-negro. Hoje posso dizer que estou fincando raízes no clube e isto é muito gratificante. Espero poder retribuir dentro de campo com muitas alegrias e títulos.

As negociações foram iniciadas ainda pelo ex-diretor Rodrigo Caetano. Novo executivo, Carlos Noval assumiu as tratativas e se reuniu nas últimas semanas com a empresa "G7 Football Investments", que gerencia a carreira do goleiro de 26 anos. O dirigente acompanha César desde as categorias de base do clube, que agiu para não sofrer nova perda no elenco após a saída de Everton para o São Paulo.

Um dos grandes erros de planejamento na temporada passada foi no gol, quando o clube sofreu com a má fase de Alex Muralha e com a lesão de Diego Alves no fim do ano. Foi aí que César, então quarto goleiro, recebeu uma chance, aprovou e ganhou pontos dentro do clube e terminou 2017 valorizado pelas boas atuações no fim da temporada.

Flamengo suspende contrato de Guerrero novamente



O contrato de Guerrero com o Flamengo está novamente suspenso. O clube decidiu interromper pela segunda vez os pagamentos do peruano. A decisão foi tomada após o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) ampliar, na última segunda-feira, a suspensão do atacante para 14 meses. O GloboEsporte.com confirmou a informação publicada pelo “Extra”.


Guerrero tem contrato com o Flamengo até 10 de agosto e o fim de seu ciclo no clube parece cada vez mais próximo. As partes negociavam a renovação, mas aguardavam o uma posição definitiva no TAS, o que aconteceu na última segunda.

Um dos impasses da negociação era justamente o fato de o Flamengo ter suspendido o contrato na primeira vez. Guerrero não gostou de a suspensão de seus vencimentos ter vindo a público, ameaçou romper relações com o Rubro-Negro e queria receber salários retroativos referente aos três meses em que seu contrato foi suspenso.

A suspensão do contrato está prevista na legislação. A Lei diz que diz que "a entidade de prática desportiva poderá suspender o contrato especial de trabalho desportivo do atleta profissional, ficando dispensada do pagamento da remuneração nesse período, quando o atleta for impedido de atuar, por prazo ininterrupto superior a 90 (noventa) dias, em decorrência de ato ou evento de sua exclusiva responsabilidade, desvinculado da atividade profissional, conforme previsto no referido contrato".

No contrato de trabalho entre Guerrero e o Flamengo também havia previsão de suspensão de contrato em casos "desvinculados de atividades profissionais".